quinta-feira, 30 de junho de 2011

QUELYNO SOUZA LANÇA CORDÉIS

Cada folheto custa R$ 1,50


Quelyno Souza

CONVITE

O evento acontecerá no Casarão 34
Na quinta-feira no dia sete de julho
Três cordéis serão lançados
Que vão fazer o maior barulho
A sua ilustre presença pra mim
Será motivo de imenso orgulho

Por um real e cinqüenta centavos
Só não vai adquirir o pirangueiro
O avarento, caloteiro e velhaco
Ou quem estiver sem dinheiro
É para todo mundo comprar
Até quem não for brasileiro

Um cordel fala da terra Paraíba
De sua gente urbana e sertaneja
Outro do Botafogo paraibano
É para que todos vejam
E o terceiro folheto trata-se
De uma belíssima peleja

Será que agora eu fico milionário?
Será que vou me dá bem ou mal?
Será que vou morar numa mansão
De luxo na praia aqui na capital?
Ou será que com o dinheiro ganho
Não comprarei sequer um quilo de sal?

Quelyno Souza

Casarão 34
Praça Dom Adauto, 34 - Centro – João Pessoa-PB
Data: 07 de julho de 2011, às 19h30min




quarta-feira, 29 de junho de 2011

segunda-feira, 27 de junho de 2011

VERSOS PARA A RAINHA

PPP e a Rainha
Fiz uma nova amizade via internet, em Canindé, no Ceará, com o talentoso e excelente escritor, cordelista e blogueiro, Pedro Paulo Paulino, o famoso PPP.

PPP e a sobrinha Giovana

E já publiquei três trabalhos dele aqui no blog, sendo dois cordéis, "O testamento de Bin Laden" e "Prêmio Patativa do Assaré" e o conto "A sentença de Caim", todos muito bons. Se quiserem conhecer mais e comprovarem o que digo, é só visitarem o blog dele http://vilacamposonline.blogspot.com/


Rosa, a irmã
Nas nossas conversas falei para o PPP que temos uma ótima cachaça aqui na Paraíba, a Rainha. Para provar, mandei uma garrafa para ele que, junto com a irmã Rosa e o amigo Sílvio, provou, aprovou e fez os versos a seguir, homenageando a Rainha.

Obrigada, amigo PPP!






VIVA SUA MAJESTADE
RAINHA - NOSSA AGUARDENTE!

Pedro Paulo Paulino

Essa aguardente de cana
De “Rainha” batizada
É a melhor fabricada
Na safra paraibana.
Quem bebe dela se ufana,
Porque ressaca não sente,
Pois cura até dor de dente
E paixão sem liberdade:
VIVA SUA MAJESTADE
RAINHA – NOSSA AGUARDENTE!

Fiquei impressionado
Sentindo dela o sabor,
Que também tem um odor
Bastante aromatizado.
Fatita, muito obrigado
Por esse gentil presente.
Do Ceará, novamente
Sou grato à sua bondade:
VIVA SUA MAJESTADE
RAINHA – NOSSA AGUARDENTE!


E o amigo, Sílvio Roberto, emendou:

Como bebedor fortuito
Reforço os versos do amigo
Por isto, Fatita, digo
Para emendar o circuito
Se ainda tens esse intuito
De embebedar tanto a gente
Nos remeta novamente
Pois só nos restou saudade
VIVA SUA MAJESTADE
RAINHA – NOSSA AGUARDENTE

domingo, 26 de junho de 2011

A MATUTA MAIS LINDA!


Minha sobrinha-neta Jennifer Yasmin



PARABÉNS, GILBERTO GIL!!!



AQUELE ABRAÇO PELO SEU ANIVERSÁRIO!!!



PRESENTE DE DOMINGO...

Imagem Google

CORDEL DO SÃO JOÃO

Gustavo Dourado

São João arrasta-pé:
Forró, fogueira, baião...
Xote, xaxado e quadrilha...
Foguete, bomba, balão...
Caruaru-Campina Grande:
São João bom é no Sertão...

São João lá na Bahia:
Na festa do interior...
Irecê, Ibititá...
Cruz das Almas, Salvador...
Em Recife dos Cardosos:
Fogueira, paz e amor...

Arraiá, queima de espada:
Cará, milho, animação...
Festa junina e joanina:
No Brasil é tradição...
Santo Antônio e São Pedro:
O quente é o São João...

Sortes e adivinhas:
Simpatia e acalanto...
Pai-Nosso, Salve-Rainha:
A festa é um encanto...
Santo de cabeça pra baixo:
Atrás da porta no canto...

Crisma, batismo de fogo:
Dançar e pular fogueira...
Assar batata na brasa:
Cantar a Mulher Rendeira...
Baião de Luiz Gonzaga:
Com forró a noite inteira...

Latada, pamonha, canjica:
Mel, cuscuz e macaxeira...
Cachaça de alambique:
Cana quente de primeira...
São João é no Nordeste:
Pra curar a pasmaceira...

Mês de junho, 24:
O Dia de São João...
É festa da cristandade:
É antiga tradição...
Até no Antigo Egito:
Já tinha celebração...

Pular fogueira, dançar:
Chuva de ouro e rojão...
Sortilégio e buscapé:
É bela a celebração...
Pistolas de lágrimas no céu:
Nas noites de São João...

Bandeirolas e balões:
Claridade no Sertão...
Barraquinhas de comida:
Mugunzá, licor, quentão...
Balinha e amendoim:
Como é bom o São João...

No São João de hoje em dia:
Tudo está muito mudado...
Tem show e festa em clube:
Se perdeu o rebolado...
Saudade do São João:
No terreiro e no roçado...

No São João de minha infância:
Não tinha eletricidade...
A luz era à luz da lua...
Tinha estrelicidade...
Do São João de menino:
Lembro e morro de saudade...


 
 
 
 

sábado, 25 de junho de 2011

PORQUE HOJE É SÁBADO...

Imagem Google

CONTO DE FESTA JUNINA

Lua

Ele havia perdido uma aposta boba e para pagar, nada mais justo do que ser com algo bobo.

Ela estava toda, toda. Afinal, combinara com as amigas de todas irem como caipirinhas para a quermesse do bairro. Nada de anormal, se já não estivessem beirando os 30.

Só com o bigode verdadeiro, ele colocou uma camisa xadrez, que havia comprado numa liquidação, costurou – ele mesmo – retalhos em sua calça jeans e roubou um chapéu de palha de seu sobrinho cabeçudo.

Empolgada e rindo à toa, imaginava como seria a reação do pessoal do bairro. A última vez que se vestira a caráter para uma festa junina foi quando tinha 13 anos para dançar quadrilha na escola.

Pintando os dentes, até se empolgou com a idéia de se vestir como capiau, mas lembrou que na quermesse do bairro – que não tinha nada a ver com festa junina -, não teria ninguém vestido assim. Apenas ele.

Vestido de renda com babados, marias-chiquinhas nos cabelos, sardinhas desenhadas e o vermelho das bochechas realçavam seu visual. Não via hora de encontrar as amigas e ver como elas estavam.

Até que ele achou engraçado estar daquele jeito. Vendo que já estava quase no horário, pegou seu chapéu e um cigarrinho de palha, que ele mesmo fez – possuía experiência nisso -, e saiu.

Olhou pela enésima vez no espelho, não gostou muito, como 50 entre cada 10 mulheres, e saiu, pois já estava atrasada.

Chegando na quermesse, ele foi “recepcionado” pelos amigos, que riam da cara dele. Meio sem graça, meio se divertindo com aquilo, foi se acostumando com o ambiente. Só os freqüentadores da quermesse que não entendiam o que aquele caipira fazia ali.

Chegou ao local combinado com as amigas e se espantou com o que vira, pois ninguém estava a caráter. Apenas ela. As colegas começaram a gargalhar, dizendo que era brincadeira, pois não acreditaram que, logo ela, sairia daquele jeito na rua. Pensou em voltar, mas, sem saída, resolveu seguir daquele jeito.

Ao som de preto, favelado, mas que ninguém fica parado, ele curtia a quermesse até avistar o grupo de garotas. Com uma caipirinha no meio.

De longe, as meninas já a alertavam sobre seu “par”. Sem graça, pelo menos se conformou em não ser a única “ridícula” do local.

Com o funk no talo e com dois ETs na ‘quermesse’, as gozações transcorriam normalmente. Com cada um na sua. Os dois começaram a se olhar e lembrar dos tempos de quermesse de escola e das brincadeiras como acerte na lata, pau de sebo, pescaria, cadeia, entre outras que não existiam ali.

Nunca haviam se visto e nunca imaginaram se encontrar, em comum, apenas as vestes e as lembranças que povoavam suas mentes naquele momento: as quadrilhas de escola, os doces e salgados que os pais faziam para levar, as prisões na cadeia, onde rolavam os primeiros xavecos e beijos. No meio desses pensamentos, ele resolveu falar com ela.

Conversaram e trocaram telefones.

Ao som de Tati Quebra Barraco, foram embora, cada um para seu canto. Ela rodando, graciosa com seu vestido e suas chiquinhas. Ele com um capim no canto da boca e um sorriso no rosto.

O som de Boladona era ofuscado pelo “Pula Fogueira IáIá” que ecoava na mente de cada um naquele momento.


sexta-feira, 24 de junho de 2011

quinta-feira, 23 de junho de 2011

VIVA O SÃO JOÃO!!!

São João - Imagem Google

UM FELIZ SÃO JOÃO PARA TODOS!!!

Aproveito e deixo dois presentes para vocês. Um é a música São João do Carneirinho, de Luiz Gonzaga, gravada em junho de 1952 e que minha mãe cantava para nós, seus filhos.

O outro é a bela música de Petrúcio Amorim, Tareco e mariola, que eu adoro!



Aproveitem bem o São João!

Fátima Vieira


SÃO JOÃO DO CARNEIRINHO

Luiz Gonzaga

Eu plantei meu mio todo
No dia de São José
Se me ajuda a providença
Vamos ter mio à grané

Vou coiê pelos meus carco
Vinte espiga em cada pé
Pelos carco vou coiê
Vinte espiga em cada pé

Ai São João
São João do Carneirinho
Você é tão bonzinho
Fale com São José
Fale lá com São José
Peça prele me ajudar
Peça pro meu mio dá
Vinte espiga em cada pé


video


Vejam o vídeo aqui ou no Youtube http://migre.me/55GBH


============================================


TARECO E MARIOLA

Petrúcio Amorim

Eu não preciso de você,
o mundo é grande o destino me espera,
não é você que vai me dar na primavera
as flores lindas que sonhei no meu verão.

Eu não preciso de você,
já fiz de tudo pra mudar meu endereço,
já revirei a minha vida pelo avesso,
juro por Deus, não encontrei você mais não.

Cartas na mesa,
bom jogador conhece o jogo pela regra,
não sabes tu que já tirei leite de pedra,
só pra te ver sorrir pra mim não chorar.

Você foi longe,
me machucando provocou a minha ira,
só que eu nasci entre o velame e a macambira,
quem é você pra derramar meu munguzá

Eu me criei
ouvindo o golpe do martelo na poeira,
ninguém melhor que mestre Osvaldo na madeira,
com sua arte criou muito mais de dez.

Eu me criei
matando a fome com tareco e mariola,
fazendo versos dedilhados na viola
por entre os becos do meu velho vassoural


video


Vejam o vídeo aqui ou no Youtube http://www.youtube.com/watch?v=8xyweIK99rU

quarta-feira, 22 de junho de 2011

terça-feira, 21 de junho de 2011

AINDA SOBRE DOAÇÃO DE SANGUE...

Papai

Meu pai foi se submeter à transfusão de sangue ontem e hoje. Ele está precisando desse procedimento todos os meses. E fazia exatos 30 dias que ele havia feito uma e a hemoglobina dele baixou para 6,9, quando o normal deveria ser 12 ou 13, mas por causa do câncer da medula a dele chega, no máximo, a 10 e isso após a transfusão, para depois o maldito CA começar a comer tudo de novo e ele precisar de sangue novamente.

Vocês não imaginam o sofrimento dele. Domingo à noite, na hora do jantar, quando a gente já vislumbrava essa necessidade, pois no sábado teve uma tontura muito grande e quase caiu, ele chorou muito, dizendo que reza muito para Deus, mas Ele não o escuta. Que as pessoas tomam sangue e ficam boas, mas ele não. Nessas horas explico, de novo, a gravidade da situação e que o CA dele não tem cura, mas ele parece não entender bem.

Ontem, quando trouxe o enfermeiro para colher o sangue dele em casa, ele chorou novamente e à tarde, depois do péssimo resultado do hemograma, fomos para o Hemocentro. Ele vai para lá com muito pesar, pois é ruim passar 3 a 4 horas deitado e porque sabe que está pior.

O melhor de tudo, no entanto, é que, quando ele toma a primeira bolsa de sangue, já melhora. A cor do rosto e das mãos, que ficam esverdeadas, já volta para o quase normal do rosa. O ânimo também melhora.

Tudo isso é para dizer a importância que o sangue tem na nossa vida. Sem sangue, não há vida, mas é muito difícil conseguir um doador.

No mês passado fiz um pedido de sangue para papai (devia 7 doadores ao Hemocentro) nas listas de discussão das quais participo aqui em João Pessoa. Esse apelo foi replicado para outras listas e outras pessoas e creio que cerca de umas 300 leram o pedido. Vocês sabem quantas pessoas doaram sangue para o meu pai? UMA!!! Isso mesmo, uma pessoa, no meio de tanta gente. Um rapaz de BSB me escreveu dizendo que ele e outros amigos também doariam, mas ele não havia percebido que era aqui em JP que eu precisava do sangue e essa boa vontade não adiantou, infelizmente.

Ontem me deram um panfleto lindo lá no Hemocentro, de uma campanha para doação de sangue do ano passado, que eu escaneei e coloquei na postagem anterior para todos lerem, além do link para o vídeo dessa campanha http://www.youtube.com/watch?v=kSG7V8E6G5k&NR=1. O site que é citado no panfleto http://www.facaalguemnascerdenovo.com.br, não está ativo, pois não consegui encontrar. 

E sabem quando eu me conscientizei para ser uma doadora de sangue? Quando a minha mãe precisou, há vinte anos, quando estava toda entubada na UTI de um hospital. Eu fui ao Hemope no Recife buscar o sangue e as pessoas de lá me trataram tão bem, mas tão bem, vendo o meu desespero, que não tenho palavras para agradecer a todas elas. Desse dia em diante passei a ser doadora e o meu sangue é raro, A negativo. Minha mãe foi a óbito no dia seguinte e nem precisou do sangue. E conto a vocês como me tornei doadora para ilustrar que a gente só vê o valor e a necessidade das coisas, quando precisa. Hoje não posso mais doar, pois tirei a tireoide em 1999 e, como necessito tomar o hormônio da tireoide para o resto da vida, não posso doar.

Eu preciso de 4 doadores para repor o sangue que meu pai tomou: 2 do mês passado e 2 deste mês. Os outros que devia, eu consegui com parentes e amigos de parentes e essas pessoas só poderão doar novamente daqui a 3, 4 meses, mas não sei se e quando conseguirei mais doadores. E ele precisará de mais sangue no próximo mês e nos subsequentes e vai ser outra luta para arranjar doadores.

E fico me perguntando do que as pessoas saudáveis têm medo para não fazerem o gesto de grandeza que é doar sangue. Só posso imaginar que seja medo. Doar sangue não custa nada, não demora quase nada e a picada da agulha doi muito pouco, mas é difícil...

Fátima Vieira

segunda-feira, 20 de junho de 2011

DOE SANGUE E FAÇA ALGUÉM NASCER DE NOVO

Clique na imagem para ver em tamanho normal

video

Veja o vídeo aqui