quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

FELIZ ANO NOVO!!!















Com os Poemas de Dezembro e a Receita de Ano Novo do grande Carlos Drummond de Andrade, eu desejo a todos um 2011 muito feliz, melhor que 2010.

E que as nossas ESPERANÇAS de um mundo melhor, de pessoas melhores, de um Brasil melhor, sejam renovadas e concretizadas!

E faço um brinde a todos com a minha bebida preferida: champagne! TIM! TIM!

Um grande abraço!

Fátima Vieira




POEMAS DE DEZEMBRO

Carlos Drummond de Andrade

Procuro uma alegria
uma mala vazia
do final de ano
e eis que tenho na mão
- flor do cotidiano -
é vôo de um pássaro
é uma canção.

(Dezembro de 1968)


Uma vez mais se constrói
a aérea casa da esperança
nela reluzem alfaias
de sonho e de amor: aliança.

(Dezembro de 1973)


Fazer da areia, terra e água uma canção
Depois, moldar de vento a flauta
que há de espalhar esta canção
Por fim tecer de amor lábios e dedos
que a flauta animarão
E a flauta, sem nada mais que puro som
envolverá o sonho da canção
por todo o sempre, neste mundo

(Dezembro de 1981)


Quem me acode à cabeça e ao coração
neste fim de ano, entre alegria e dor?
Que sonho, que mistério, que oração?
Amor.

(Dezembro de 1985)













RECEITA DE ANO NOVO

Carlos Drummond de Andrade

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Texto extraído do "Jornal do Brasil", Dezembro/1997.


Fonte:
http://www.releituras.com/drummond_dezembro.asp

Dilma convida para sua posse 11 ex-companheiras de cela



















Qui, 30 Dez, 10h53

Brasília, 30 dez (EFE).- A presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff, convidou para sua posse, no próximo sábado, 11 mulheres com as quais dividiu cela durante os quase três anos em que esteve presa por seus vínculos com os movimentos de esquerda durante a ditadura.

"Na prisão, Dilma já tinha uma presença forte, já era líder e era muito solidária", declarou em entrevista publicada nesta quinta-feira o jornal "O Globo" a jornalista Rose Nogueira, uma das 11 mulheres que entre 1970 e 1972 permaneceu presa junto de Dilma.

As 11 ex-companheiras de cela figuram em um grupo de pessoas próximas a Dilma que foram convidadas especialmente por ela para a cerimônia na qual receberá a faixa presidencial das mãos do atual líder, Luiz Inácio Lula da Silva.

A socióloga Lenira Machado, outra das mulheres que estiveram no centro de detenção conhecido, à época, como a "Torre das Donzelas", disse ao Globo que, à margem da participação que cada uma tinha na guerrilha, tanto ela quanto Dilma concordavam em que a ditadura devia ser combatida com armas.

"Defendíamos a luta armada, baseada na formação de quadros e não como uma simples aventura", declarou.

Dilma esteve presa e foi torturada por seus vínculos com os pequenos grupos guerrilheiros

Comando de Libertação Nacional (Colina) e VAR-Palmares, mas afirmou que nunca chegou a pegar em armas, tampouco participou de nenhuma das ações dessas células.

Documentos publicados em novembro pelo Ministério da Defesa indicam que os grupos de inteligência do Exército jamais chegaram a comprovar a participação de Dilma em ações armadas, mas que havia "assessorado" à guerrilha na preparação de ataques a bancos e a organização de greves.

A agora presidente eleita foi detida em 1970, quando tinha 23 anos, e com base nos documentos, era classificada pela ditadura como "a Joana d'Arc da subversão".

Nos documentos constam algumas passagens de sua declaração diante da justiça militar após sua captura, nos quais se manifestou "marxista-leninista" e admitiu que o grupo Colina participou de três assaltos a bancos e foi responsável por dois atentados a bombas, nos quais não houve vítimas.

"É uma figura feminina de expressão tristemente notável", mas com uma "dotação intelectual apreciável", dizem os arquivos. EFE

Fonte:
http://br.noticias.yahoo.com/s/30122010/40/mundo-dilma-convida-posse-11-ex.html

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Quero aplaudir de pé


















Apenas por que a Escola de Samba Academicos do Tucuruvi optou por um samba enredo cujo titulo é: “Oxente, o que seria da gente sem essa gente? São Paulo: a capital do Nordeste!”, a escola recebeu oito emails ofensivos e ameaçadores de xenófobos paulistas que parecem não ter aprendido nada com a repercussão negativa de atitude parecida de Mayara Petruso, a infeliz que resolveu recomendar que matem nordestinos.

Dessa vez os xenófobos imbecis chegam ao ponto de ameaçar a escola e o texto de um dos emails diz o seguinte: “Vou dar um aviso: na primeira ameaça que alguém receber de qualquer verme dessa escola de samba, a coisa vai ficar preta".

Um outro xenófobo menos belicoso - como se existisse - consegue vomitar o seguinte: "Eu, como paulistano, tenho nojo dessa escola de samba e seu samba enredo. Assim como vários paulistas e paulistanos, repudio este enredo nojento e absurdo. Querem exaltar o Nordeste, desfilem por lá”.

Observem que o idiota diz ter nojo por ser paulistano, talvez não o tivesse se ele fosse goiano ou gaucho, donde se deduz que esse luminar da sabedoria humana restringe apenas aos abençoados nascidos em solo paulista a exclusividade do saber, da cultura, da riqueza e da diversão, ou seja, o mundo não pode existir se tudo não for uma exaltação à São Paulo. Talvez quem sabe ele faça uma exceção aos Estados Unidos da América do Norte, com quem ele deve estar acostumado a falar fino.

Triste e parodoxal esse nosso mundo. Nos dias atuais em que tantos esforços se fazem na busca de soluções que caminhem na direção do justo usufruto da vida, das benesses da natureza, justo quando mais se discute meios de preservar o planeta, exatamente por que cada vez mais se entende que tudo que existe por aqui além de vital é de direito de todos, ainda existem idiotas desse naipe - e que não são poucos - que não param de olhar para os próprios umbigos a julgarem-se o centro do universo. É de dar dó. Nunca sairão de seus quintais, por medo de descobrirem que o Brasil e o mundo podem perfeitamente funcionar sem São Paulo. Aliás podem funcionar não, funcionam de verdade.

Ainda bem que os dirigentes da escola já tomaram providencias para reprimir essa idiotice encaminhando as mensagens para a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

E se por acaso no próximo carnaval eu estiver em São Paulo quem sabe vou até o Sambodromo enrolado na bandeira paulista só para aplaudir de pé o desfile dessa escola!

Jonas de Carvalho

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

AH! OS RELÓGIOS













Amigos, não consultem os relógios
quando um dia eu me for de vossas vidas
em seus fúteis problemas tão perdidas
que até parecem mais uns necrológios...

Porque o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira –
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.

Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida:
não cabe, a cada qual, uma porção.

E os Anjos entreolham-se espantados
quando alguém - ao voltar a si da vida –
acaso lhes indaga que horas são...

Mario Quintana - A Cor do Invisível

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O NATAL E A ESPERANÇA














Encontrei o texto abaixo no blog de Eduardo Lara Resende, que eu sigo.

É um texto lindo e muito significativo, que fala de esperança, essa coisa da qual eu não abro mão de ter e sentir.

Sou uma eterna esperançosa de dias melhores, de mais amor entre as pessoas, de menos maldades praticadas pelas pessoas, de mais respeito pelos sentimentos dos outros, de mais lealdade...

E com toda essa esperança que inunda o meu coração, é que desejo a todos um Natal cheio de amor e que o Ano Novo traga novos rumos para o Brasil e para todos nós.

Fátima Vieira


ESPERANÇA

Precisamos de esperança. Não uma esperança sintética e sem brilho, como que produzida em escala industrial. Ou a que dá nome à padaria e marca ao querosene. A esperança de que necessitamos é a que trazemos no coração, tão confiável quanto possível, capaz de nos fortalecer e consolar. Uma esperança que se transforme em desejo realizado e embrulhado para presente.

Esperança boa dá vida curta aos desencantos, que ficam pequenos como os da infância. É essa esperança companheira - com fôlego e desempenho de atleta olímpico - que nos parece necessário perseguir, para vê-la realidade nos resultados da urna eleitoral, na profissão e na saúde. No êxito de uma inesquecível celebração.

Precisamos de inarredável esperança para que possamos crer, agradecer e perdoar. Sábia e cúmplice esperança que dê passagem à prudência, quando se multiplicarem os acenos da fantasia extravagante. Esperança que não mate o necessário sonho, não eternize a lágrima e nem acinzente a vida.

Vigorosa e renascente esperança - eis do que precisamos para reconhecer e tolerar, no outro, nossa natureza amarga e individualista. Para dispor da palavra que conforta, estender a mão que ampara e o sorriso que acolhe - pequenos-grandes gestos de que somos até capazes, na pequena misericórdia e humana miséria que nos iguala.

Precisamos esperar ainda que contra toda a esperança, no dizer do apóstolo. Esperar desesperadamente. Até que nos encontremos no desejado novo amanhã. Um amanhã mais leve de mentiras, desigualdades, carências, maldade, ingratidão.

Seja esta esperança, hoje, a certeza de melhor futuro.

Eduardo Lara Resende

Fonte:
http://pretextoselr.blogspot.com/2010/12/esperanca.html

DAS UTOPIAS













Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos se não fora
A mágica presença das estrelas!

Mario Quintana - Espelho Mágico

domingo, 19 de dezembro de 2010

Avião cor-de-rosa, tripulado por mulheres, alerta sobre câncer de mama

video

A FEMAMA, representada aqui em Pernambuco pelo GAAPAC, agradece o apoio do Diário de Pernambuco e parabeniza o jornalista Ed Wanderley pela matéria. Com a divulgação através da mídia, nossas ações se tornam bem mais eficientes e conseguem mais rapidamente alcançar os objetivos, que neste caso é a busca de mais investimento por parte do governo para a prevenção, detecção precoce e tratamento do câncer de mama, o câncer que mais mata mulheres no mundo.


Luciana Pires pelo GAAPAC/FEMAMA

Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=jPORzoq1Dr8

MEUS VÍDEOS 1

Quadro Antes e Depois, do JPB 1ª Edição, da TV Cabo Branco, afiliada da Rede Globo em João Pessoa.


Escrevi para o Antes e Depois solicitando que fizessem a ambientação da recepção e da sala de meditação da Casa de Apoio da Rede Feminina de Combate ao Câncer na Paraíba, da qual sou voluntária, eles aceitaram e fizeram o trabalho.


Abaixo os dois vídeos, de antes e depois da transformação dos ambientes, que foram ao ar em 01/08/2009 e que não têm uma boa qualidade porque foram capturados da tela do computador. A TV Cabo Branco me informou que não podia ceder cópias dos vídeos.


Antes da transformação


video

Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=CcpI5A45OFs



Depois da transformação


video


Fonte: http://jpb1.cabobranco.tv.br/index.php?ev=1&d=2009-08-01

Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=2NKnfLSYCX0

MEUS VÍDEOS 2


video


Profissão Secretária


Entrevista comigo veiculada no Primeiro Jornal, da TV CLUBE do Recife, afiliada da Rede Bandeirantes, em 09/10/2007, sobre a profissão de Secretária.

O local é a Editora Massangana, da Fundação Joaquim Nabuco, onde eu trabalhava na época com cargo comissionado. Sou aposentada da Sudene, desde 2001, quando a Autarquia foi extinta e onde trabalhei por 24 anos.

Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=H_HWwA8XEbg



video


Rede Feminina de Combate ao Câncer na Paraíba


Matéria onde sou entrevistada, veiculada no Jornal O Norte, da TV O NORTE, afiliada da Rede Bandeirantes em João Pessoa - PB, em 15/01/2009, sobre a Rede Feminina de Combate ao Câncer na Paraíba, da qual sou voluntária.

Meu trabalho é na quimioterapia, conversando com os pacientes para ajudá-los a passar o tempo enquanto tomam as drogas para combater o câncer.

É um trabalho muito significante para mim e as histórias de vida que escuto são incríveis. Muitas vezes me sinto muito mais gratificada que eles, ao ouvir esses relatos.

Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=GgKTngg2Xso

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

CAMPANHA DA AVON CONTRA O CÂNCER DE MAMA

















Junte-se à Avon na luta contra o câncer de mama. Compre uma camiseta igual à minha da foto ou veja outros modelos no link ao final.

Cada camiseta custa R$ 15,00 e desse valor, R$ 4,00, vão para projetos de detecção de câncer de mama.

São camisetas inspiradas nas tendências de moda, confeccionadas com material reciclado - a bata e o modelo masculino são feitos de garrafa PET.

Adquirindo uma peça, você colabora com projetos de detecção precoce do câncer de mama e ainda contribui com o meio ambiente!

Eu comprei quatro pelo site: uma para mim e três para presentear. Além do preço da camiseta, também paguei o frete, mas se você pedir a uma revendedora Avon, certamente se livrará do frete.

Clique aqui e escolha a sua:
http://www.avoncontraocancerdemama.com.br/camiseta/

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

PARABÉNS PARA MIM!


Fátima Vieira


Hoje, 19/02/2010, completo 57 longos e bons anos de vida. Parabéns para mim!

Parece algo ridículo e prepotente eu mesma me dar parabéns, não é? É não!!! Me dou parabéns porque acho a vida uma coisa tão boa, mas tão boa, que fico muito feliz por estar viva e comemorando mais um ano. Então, mereço parabéns por viver!

Há pessoas que nem dizem a data de nascimento (o ano então...), porque não gostam de comemorar aniversário. Eu sou totalmente o contrário dessas pessoas. Todo ano eu queria poder dar uma enorme festa, convidar toda a família e todos os meus amigos para celebrar a minha existência. E olhe que minha vida não é um mar de rosas, porque, como todas as pessoas, sofro com os percalços que ela me apresenta, mas faz parte e sou feliz assim.

Nesses 57 anos tive muitas vitórias e algumas derrotas, como a morte da minha mãe e do meu irmão. E, certamente, esses foram os fatos que mais me marcaram. Mas ainda tenho o meu pai, que está com uma grave doença, mas vivo e se tratando. Terá, pelo menos, uma boa qualidade de vida para terminar os dias dignamente.

Namorei muito e namoro ainda, mas nunca casei e não tenho descendentes diretos porque nunca quis ter filhos. Foi uma escolha da qual não me arrependo, mas muita gente diz que deveria ter filhos porque vou terminar a vida sozinha. E filho é sinônimo de companhia no final da vida? Nunca foi! Os filhos têm que seguir com suas próprias vidas e não ficar atrelados aos pais por obrigação ou pena. Eu cuido do meu pai porque quero, porque devo e porque me dá prazer. Meus pais nunca foram empecilho para nada na minha vida, pelo contrário. E continua assim. Muitas vezes me sinto cansada porque somos só nós dois e eu para fazer tudo, mas vale a pena e não reclamo.

Enfim, a vida é bela e quero viver muitos anos ainda, lúcida, produtiva, braba, moleca, alegre e sorridente, como sou, claro! E se for para ficar em cima de uma cama, melhor morrer logo. Não me imagino dando trabalho às pessoas, portanto, quero morrer dignamente, de um enfarto fulminante, de preferência. E depois do meu pai, para ele não ficar sozinho. Será que é pedir muito?