segunda-feira, 30 de abril de 2012

domingo, 29 de abril de 2012

PRESENTE DE DOMINGO...















OS ENGENHOS DE MINHA TERRA

Ascenso Ferreira

Dos engenhos de minha terra
Só os nomes fazem sonhar:

                - Esperança !
                - Estrela d'Alva !
                - Flôr do Bosque !
                - Bom-Mirar !

Um trino… um trinado… um tropel de trovoada…
e a tropa e os tropeiros trotando na estrada:

                - Valo!
                - Êh Andorinha !
                - Ê Ventania !
                - Ê...

    "Meu Alazão é mesmo bom sem conta !
    Quando ele aponta tudo tem temor…
    A vorta é esta: nada me comove !
    Trem, outomove, seja lá que for…"

                "Por isso mesmo o sabiá zangou-se !

                Arripiou-se foi cumer melão…
                Na bananeira ela fazia: piu !
                Todo mundo viu, não é mentira não…"

- Bom dia, meu branco !
- Deus guarde sua senhoria, Capitão !

......................................................................

Dos engenhos de minha terra
Só os nomes fazem sonhar:

                - Esperança !
                - Estrela d'Alva !
                - Flôr do Bosque !
                - Bom-Mirar !




sábado, 28 de abril de 2012

PORQUE HOJE É SÁBADO...

Adélia Prado
















A ESCRIVÃ NA COZINHA

 Adélia Prado

Só Deus pode dar nome à obra completa
— de nossa vida, explico — mas sugiro
Ao meio-dia, um rosal,
implica sol, calor, desejo de esponsais,
a mãe aflita com a festa,
pai orgulhoso de entregar sua filha
a moço tão escovado.
Nome é tão importante
quanto o jeito correto de se apresentar a entrevistas.
Melhor de barba feita e olho vivo,
ainda que por dentro
tenha a alma barbada e olhos de sono.
Sonhei com um forno desperdiçando calor,
eu querendo aproveitá-lo para torrar amendoim
e um pau roliço em brasa.
Explodiria se me obrigassem a caminhar por ele.
Ninguém me tortura, pois desmaio antes.
A beleza transfixa,
as palavras cansam porque não alcançam,
e preciso de muitas para dizer uma só.
Tão grande meu orgulho, parece mais
o de um ser divino em formação.
Neurônios não explicam nada.
Psicólogos só acertam se me ordenam:
Avia-te para sofrer — conselho pra distraídos—,
cristãos já sabem ao nascer
que este vale é de lágrimas.

Texto extraído do livro “A duração do dia", Editora Record – Rio de Janeiro, 2010, pág. 25.



sexta-feira, 27 de abril de 2012

27 DE ABRIL - DIA DA EMPREGADA DOMÉSTICA

PARABÉNS ÀS EMPREGADAS DOMÉSTICAS PELO SEU DIA!!!


Imagem Google


quinta-feira, 26 de abril de 2012

JAZZ NA VILA

O DEUS DA FORTUNA




Uma parábola sobre a metafísica do capital

O Coletivo de Teatro Alfenim, em continuidade ao projeto Teatro Alfenim em Repertório, realiza nova temporada do espetáculo O Deus da Fortuna, de 28 de abril a 10 de junho, aos sábados (20h) e domingos (17h), na Fundação Casa de Cultura Cia da Terra.

O espetáculo é vencedor do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz/2010. Com texto de Márcio Marciano, criado em processo colaborativo com os atores do grupo, o espetáculo é uma parábola em chave cômica que utiliza como ponto de partida um argumento de Bertolt Brecht, retirado de seus diários de trabalho. 

O dramaturgo alemão relata sua intenção de escrever uma peça inspirada na imagem desse deus, muito popular  na China. Com base nessa alegoria, o  Coletivo de Teatro Alfenim cria o seu próprio  Deus da Fortuna, totalmente identificado ao capital especulativo, e o faz surgir na propriedade de um capitalista à moda antiga, o Senhor Wang, para lhe revelar a “metafísica” do capitalismo financeirizado dos dias atuais. 

Afundado em dívidas em virtude da crise da produção do arroz e da seda, o Senhor Wang, manda erguer um altar em honra de Zao Gong Ming, o Deus da Fortuna, com a intenção de se salvar da falência. Porém as oferendas são inúteis e o proprietário vê-se obrigado a vender a própria filha a seu credor, como forma de amortização da dívida. 

Em meio aos rituais do matrimônio, o Deus surge à sua frente e lhe desvenda o futuro, com a condição de que seja erguido o grande Templo da Fortuna. O proprietário  deixará as formas primitivas de acumulação do capital para dedicar-se à especulação e aprenderá “como o ouro se transforma  em pura aparência”.     

Sintonizado com as novas formas imateriais de acumulação do capital esse acumulador primitivo irá saldar suas dívidas e erguer um novo templo ao Deus da Fortuna, o templo  da especulação financeira.  

Em tempos de crise sistemática do capitalismo, cuja lógica é a de se alimentar de trabalho não pago e da promessa fictícia de que o capital especulativo promoverá a felicidade futura, comprometendo não apenas as gerações de hoje como também as gerações vindouras, o  Coletivo de Teatro Alfenim experimenta a comédia com o propósito de desmascarar a maquinaria teatral utilizada para escamotear a lógica criminosa do capital especulativo e seus derivativos “metafisicantes”. 

FICHA TÉCNICA: 

Elenco: 

Adriano Cabral
Cecília Retamoza
Daniel Araújo
Lara Torrezan
Paula Coelho
Verônica Sousa
Vítor Blam
Wilame AC 

Texto e direção: Márcio Marciano
Direção musical: Wilame AC
Músicos: Mayra Ferreira e Wilame AC
Cenário: Márcio Marciano
Direção de Arte: Vilmara Georgina 
Iluminação: Ronaldo Costa
Produção executiva: Gabriela Arruda 
Duração: 105 minutos 
Classificação Indicativa: 10 anos 

Serviço:
O Que: Temporada do espetáculo O Deus da Fortuna
Onde: Casa de Cultura Cia da Terra, Pça Antenor Navarro, nº 15, 1º andar, Varadouro
Quando: 28 de abril a 10 de junho de 2012, sábados e domingos
Hora: sábados (20h) e domingos (17h)
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00
Ingressos antecipados ao preço promocional de R$ 10,00: Loja Vida Real (MAG Shopping), e Loja Furtacor (Shopping Sul)


Informações à imprensa
Calina Bispo
83 8891 3334/ 9627 9397


quarta-feira, 25 de abril de 2012

CHICO CÉSAR LANÇA DVD “AOS VIVOS AGORA”



CHICO CÉSAR LANÇA DVD “AOS VIVOS AGORA” EM SHOW BENEFICENTE NO CENTRO CULTURAL PIOLLIN

Inédito na Paraíba, o DVD “Aos Vivos Agora”, de Chico César terá pré-lançamento em João Pessoa no próximo sábado (28), às 20h, no Centro Cultural Piollin. Os ingressos já podem ser adquiridos no mesmo local.

Esse é o segundo show de Chico César no Piollin. O primeiro aconteceu logo no início de sua carreira em 1980, após sua vinda de Catolé do Rocha para João Pessoa.  O segundo show foi realizado em 2008, quando já havia se tornado um artista conhecido do grande público.

O evento marca o início das comemorações dos 35 anos de fundação do Piollin, sendo também uma iniciativa que busca a mobilização de pessoas, idéias e recursos para reparos emergenciais na casa grande do antigo engenho Paul, sede da organização, como explica Simone Alves, coordenadora pedagógica da instituição.

“A melhoria da estrutura física do Piollin representa muito para sustentação do trabalho cultural e educativo que a organização mantém, além de gerar recursos financeiros e materiais através da locação de espaços para as atividades sócio-culturais”, enfatiza Simone Alves.

O Centro Cultural Piollin desenvolve ações educativas no campo da arte e cultura voltadas para crianças, adolescentes e jovens do município de João Pessoa, Paraíba, preferencialmente o público das classes C e D.

Atua também nas áreas do estudo, produção e difusão cultural, através do intercâmbio  e da atuação em rede entre grupos artísticos da cidade e de outras regiões do país, em especial os núcleos de artes cênicas.

Nesses 35 anos, a instituição já atendeu em torno de 35 mil alunos da rede pública de ensino, abrigou mais 100 eventos com um público estimado em 10 mil pessoas, dentre apresentações de teatro, circo, músicas, exibição de cinema, festivais, cursos, oficinas, seminários, festas, reuniões, ensaios, dentre outros. 

Dentre as produções do Piollin, destaque para o espetáculo Vau da Sarapalha, que permaneceu por 18 anos se apresentando em festivais e circuitos nacionais e internacionais de teatro, sendo responsável pela abertura do cinema e da televisão para os atores e atrizes paraibanos.
O projeto de educação em arte teve o reconhecimento do Prêmio Itaú/Unicef, em 2011, ficando entre as organizações semi-finalistas da região Nordeste e o projeto da coordenadora Pedagógica do Piollin, Simone Alves, ficou entre as quinze melhores experiências de todo o país, no Prêmio Itaú Novos Rumos.

Em 2008, a organização recebeu a Ordem do Mérito Cultural do Governo Federal.

SAIBA MAIS | “Aos vivos agora” por Chico César

"Aos Vivos" é meu primeiro CD, gravado ao vivo com voz e violão, lançado 16 anos atrás. Agora faço o DVD desse álbum que me mostrou primeiro à cena alternativa de São Paulo e, alado, voou Brasil adentro e mundo a fora. Dani Black é meu convidado no DVD. Ele participa de algumas músicas tocando violão, guitarra e fazendo vocais. Mais ou menos a mesma coisa que no disco fizeram Lenine e Lanny Gordin.

Egídio Conde, do Audiomobile, é um dos principais responsáveis pela existência do CD "Aos Vivos". Conhecíamos-nos do ‘Festival de Avaré’ desde 1991 e, ao procurá-lo para que me cedesse seu estúdio para gravar vozes e violões em um material que estava preparando com André Abujamra na produção do que deveria ter sido meu primeiro disco, ele me aconselhou a fazer um disco ao vivo e colocou à disposição seu equipamento, sua sensibilidade e seu tempo para o projeto.

Disco pronto, tentaram nos convencer a não lançá-lo para não desperdiçar as músicas com aquelas gravações sem arranjo, despidas.

Finalmente a ‘Velas’ se decidiu e, um ano depois, veio o lançamento. Algumas rádios públicas e "adultas" começaram a tocar, algumas pessoas começaram a se perguntar: "É o Caetano Veloso? É o Gil? É um disco voador?" Era um disco voador, que ganhou vida própria e plana sem planos até hoje. Ele terminou por me levar ao mainstream e também a me defender do mainstream. Nas reuniões mais tensas em que diretores de gravadora tentavam me convencer de algo que eu realmente não faria de jeito algum, usei meu primeiro disco como escudo e argumentava: "Vocês nunca teriam me deixado gravar o disco através do qual me conheceram e que despertou o interesse por mim".

Ah, o DVD. Também estou torcendo para que saia uma versão do áudio em vinil, pois era nesse formato que eu fantasiava meu primeiro disco. O repertório: vou tocar todo o "Aos Vivos", respeitando o espírito de certa liberdade irresponsável que há nele. É mais isso do que o compromisso de tentar fazer igualzinho ao disco. Não há como mesmo.


Mas também tem o "Aos Outros": algumas músicas que toquei naquelas três noites e que acabaram não entrando no disco (tipo "Utopia" e "Invocação"). E outras, minhas ou não, que entraram na minha vida de lá pra cá e que eu acho que tem a ver fazer agora: "Dor Elegante" (de Itamar e Leminski), "Paula e Bebeto" (Milton Nascimento/Caetano Veloso), “Ilê Ayê” (Paulinho Camafeu). Tocar eu toco, depois a gente vê se entra ou não. Deixa vir pra ver no que dá.

Serviço:
O Que: Show beneficente de pré lançamento do DVD “Aos Vivos Agora” de Chico César
Onde: Centro Cultural Piollin
Quando: 28 de abril de 2012 (sábado)
Hora: 20h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00
Ingressos antecipados: Centro Cultural Piollin e lojas Furtacor (Tambiá Shopping, MAG Shopping e Shopping Sul)
Informações: 3241 6343/8738 7373



INFORMAÇÕES À IMPRENSA
Assessoria de Comunicação Centro Cultural Piollin
Calina Bispo | 83 8891 3334/9627 9397


terça-feira, 24 de abril de 2012

HOMENAGEM À REDE FEMININA DE COMBATE AO CÂNCER



Hoje, às 15 horas, na Assembléia Legislativa da Paraíba, será realizada uma sessão solene em comemoração ao Jubileu de Ouro e ao Dia Estadual da Rede Feminina de Combate ao Câncer na Paraíba, comemorado no último dia 7, conforme Lei Estadual nº 9344/2011, do Deputado Janduhy Carneiro.

Na ocasião a Rede Feminina fará o lançamento de um site, da revista comemorativa aos 50 anos, de um VT institucional e de um projeto em beneficio dos larinjectomizados do Hospital Napoleão Laureano, além de prestar homenagens a voluntários falecidos.

A Rede Feminina está localizada na Av. 12 de Outubro, 858, Jaguaribe, telefone 83-3241-5373.


domingo, 22 de abril de 2012

PRESENTE DE DOMINGO...


O BRASIL FOI DESCOBERTO OU INVADIDO?

Joaquim Araújo da Silva

A terra que é descoberta
Todos sabem muito bem
Não existem habitantes
O ser humano está distante
Ali não mora ninguém

A história não revela
O certo que foi ocorrido
Esse país tropical
Pela frota de Cabral
Em 1500 foi invadido

Além do Índio nativo
Que vivia seminu
Já morava aqui um português
Que pelos Índios era cortês
Chamava-se Caramuru

Um país maravilhoso
Nessa Terra tropical
Antes só havia os Índios
Mas logo foram se resumindo
Com a chegada de Cabral

Os portugueses fidalgos
Com seus atos criminais
Assassinavam os Índios
Comemorando e sorrindo
Como se matassem animais

Com bravuras e assassinatos
Eram normal todos os dias
Retalharam toda a terra
Com os seus gritos de guerra
Dividiram em capitanias

Agrediam os nativos
E levavam uma vida banal
Tomavam conta das terras
Sempre coagindo guerras
No Brasil Colonial

Um imperador popular
Sanguinário e guerreiro
Era um homem destemido
Tornou-se muito conhecido
Chamava-se D. Pedro Primeiro

Tinha três bravos governantes
Tomé de Sousa e Men de Sá
Juntos com Duarte da Costa
Que, pois os Índios a escravizar

D. Pedro às vezes atuava
Com seus atos eminentes
Como todos programavam
Ansiosos esperavam
Em ter um Brasil independente

Às margens do Rio Ipiranga
D. Pedro ia passando
Quando recebeu uma notícia
Logo efetuou sua conquista
E a independência foi bradando

Era um sete de setembro
Bem às margens desse rio
D. Pedro ali proclamou
A sua espada desembainhou
E a independência surgiu

Com a vinda da Família Real
Não foi por amor a esse chão
Eles estavam perseguidos
E logo vieram corridos
Do grande Rei Napoleão

Relatavam os compromissos
Sempre enganando a nação
Pra ter um Brasil bem leal
Livre de Portugal e do Rei Napoleão

Livre de Portugal
Foi quebrado um grande nó
Um Brasil Independente
De um povo inteligente
Mas deveria ser bem melhor

Índios e negros levavam
Uma vida de animal
Maltratados pelos brancos
Choravam a angústia e prantos
Dos fidalgos de Portugal

A libertação dos escravos
Foi uma farsa na verdade
A Princesa Izabel pressionada
Pela Inglaterra foi forçada
A declarar a liberdade

Hoje não estamos livres
Passamos por um disfarce evidente
A diferença de outrora
É que vivemos agora
Sem o tronco e sem a corrente

Espero que os governantes
Ajam com coerência
De mostrar a realidade
Um Brasil com igualdade
E que tenha transparência

Desejo um bom futuro
Para essa juventude discente
Há de ter democracia
Viver cidadania
E um Brasil independente.




sábado, 21 de abril de 2012

PORQUE HOJE É SÁBADO...














TIRADENTES

Tião Martins

joaquim josé da silva xavier
foi pro tudo ou nada
foi pro que desse e viesse
foi apresentado ao laço
foi dividido em pedaços
espalhado
dispersado
como a consciência nacional

mas não fizeste mal
joaquim

cortaste um dobrado
mas ganhaste um feriado
que se por ti não foi gozado
é por nós aproveitado

tenho dito
e obrigado.


quinta-feira, 19 de abril de 2012

quarta-feira, 18 de abril de 2012

CASAMENTO IGUALITÁRIO




Jean Wyllys lança campanha nacional pelo casamento civil igualitário na PB

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) estará em João Pessoa (PB) nesta quinta-feira (19), para o lançamento da campanha nacional pelo casamento civil igualitário.

A capital paraibana será a segunda cidade no Brasil a receber a campanha após o lançamento nacional, na última semana, no Rio de Janeiro.

O evento acontecerá no Sebo Cultural, a partir das 19h, e contará com a presença da cantora Renata Arruda, das drags Dyke e Like, do Procurador do Trabalho Eduardo Varandas, do cineasta Bertrand Lira, da vereadora Sandra Marrocos (PSB-PB), do presidente nacional do Centro de Tradições Afro-Brasileiro, Pai Beto Monteiro, da coordenadora do Núcleo de Direitos Humanos da UFPB, Maria Nazaré Tavares Zenaide, ativistas do movimento de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transgêneros (LGBT), e representantes da sociedade civil organizada.

Para o deputado, é estratégico que o Nordeste seja a segunda região a receber a campanha tendo em vista as estatísticas, que a colocam como uma das regiões que mais registram crimes de ódio motivados por homofobia.

“Os Estados do Nordeste têm grandes índices de homofobia, o que acontece porque nesta região o machismo, o sexismo e a homofobia, vigoram com mais força do que em outras regiões”, diz Wyllys. Segundo o deputado, a aprovação da PEC do casamento civil igualitário é estratégica para o enfrentamento da homofobia social em médio e longo prazo:

“Se a gente faz com que o Estado reconheça essas uniões estáveis como família e a gente conquista o direito à adoção, a gente cria uma cultura do respeito da diferença”, explica.

A campanha será lançada em vários estados e, nessa primeira fase, conta com o apoio de artistas como Arlete Salles, Chico Buarque, Caetano Veloso, Zélia Duncan, Ivan Lins, Wanessa, Mônica Martelli, Mariana Ximenes, Ney Matogrosso, MV Bill, Alexandre Nero, Gutta Stresser, Sérgio Loroza, Tuca Andrada, Cláudio Lins, Alexandra di Calafiori, Preta Gil, Maria Ribeiro, Fabiula Nascimento, Rita Sibeiro, Sandra de Sá, Jusara SIlveira, Marian de Morais, Neville d’ Almeida, Luiz Carlos Lacerda, Robert Guimarães, Fabiana Cozza e Lan Lan.  Todos os artistas participaram da campanha de forma gratuita e solidária.

 Os vídeos oficiais da campanha podem ser vistos no site www.casamentociviligualitário.com.br.

A campanha é um movimento apartidário e plural que busca expressar e mobilizar o apoio de diversos setores da sociedade brasileira à proposta de emenda constitucional (PEC) para legalizar o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo proposta pelo deputado Jean Wyllys e pela deputada Erika Kokay.

Wyllys é o primeiro parlamentar gay assumido que colocou seu mandato no Congresso a serviço da luta pela igualdade e a dignidade das pessoas LGBT e de outras minorias.

 “Esta campanha é de todas e todos, e esperamos contar com a participação e o compromisso de líderes de todos os partidos para construirmos juntos no Congresso uma coalizão pela igualdade que permita a aprovação da PEC”, explica o deputado.

“Nós aprendemos muito com o processo nos países onde o casamento igualitário foi aprovado e o debate em cada um deles mostrou que, quando o tema deixa de ser silenciado, os argumentos contra a igualdade caem. Vamos a vencer essa luta que fará do Brasil um país melhor, mais justo e mais civilizado. Como disse o cineasta Luiz Carlos Lacerda, que participa dessa campanha, o Brasil não pode perder o bonde da contemporaneidade”, finaliza o deputado.

Serviço:
Lançamento da Campanha pelo Casamento Civil Igualitário na Paraíba. Sebo Cultural (Av. Tabajaras 848, Centro), a partir das 19h. Entrada franca.

Assessoria 


18 DE ABRIL - DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL


Imagem Google

terça-feira, 17 de abril de 2012

RECIFE EM 360º



Quer fazer um tour por vários pontos turísticos do Recife em 360º?

Ele abre no Marco Zero, mas é só clicar na setinha, acima, no canto direito, e aparecerão várias opções.

Depois é só clicar na opção que quiser e esperar aparecer a imagem. E dentro da imagem ainda pode clicar nas bolinhas pulsantes para ver o detalhe.

Boa viagem!!!


segunda-feira, 16 de abril de 2012

SARAU DOS SETE ANOS



CAFÉ EM VERSO E PROSA, CAIXA BAIXA E ANIVERSÁRIO DE SETE ANOS DO SARAU

Local: empório café (por trás da feirinha de Tambaú)
R. Coração de Jesus, 201 – Tambaú
Dia: 17 de abril de 2012
Hora: 20:30
Informações: Suzy Lopes 8801-8533 (OI) ou 9614-887 (TIM) (atriz e produtora)


EM SEUS SETE ANOS, O CAFÉ EM VERSO E PROSA RECEBE CAIXA BAIXA


O projeto “café em verso e prosa” organizado pela atriz Suzy Lopes  que já faz parte do calendário cultural da capital paraibana comemora nesta terça-feira dia 17,  sete anos, e oferece aos seus frequentadores um bolo de poetas e escritores, trata-se do “caixa baixa” – núcleo literário formados por vários escritores paraibanos ou radicados na paraíba, que visa criar um espaço privilegiado de trocas, de experimentação de escrita e movimentar ainda mais a literatura de nosso estado.

O sarau acontece há sete anos mensalmente e tem sempre um homenageado ou uma temática que cria uma linha vertente para a noite em uma performance de abertura da atriz Suzy Lopes e seus convidados. Realizada essa primeira parte, o palco e o microfone são entregues ao público que pode recitar poesias de seus poetas preferidos ou de autoria própria, o que quase sempre acontece.

Esta edição será mais que especial, começando pela comemoração dos sete anos do evento,  o que mostra que é um evento que merece mesmo ser comemorado, pois sete anos já é um tempo considerável e muita coisa já aconteceu em seu palco poético, cada edição é uma celebração da poesia em sua forma mais importante de ser, na boca de quem lê e sente a emoção que as palavras trazem.

É comum no café em verso e prosa ser estendido um varal com poesias no tema, porém terça-feira será diferente, desta vez o varal será em forma de caixa para fazer uma brincadeira com o nome do grupo que é tema da noite, estão sendo confeccionadas por Diacisa Lopes,  20 caixas com imagens, poemas e trechos de prosa do grupo homenageado nesta noite, e estas caixas ficarão espalhadas pelas mesas do empório café, o que é muito legal, pois desta forma, tanto as pessoas podem levar estas caixas como um presente da noite, como pode escolher em sua mesa o poema que quer ler da caixa.

O caixa baixa foi formado em janeiro de 2011, seus integrantes alimentam um blog na internet que pode ser visitado pelo link http://caixabaixa.org, escrevem em revistas e jornais além de seus próprios blog’s. Muitos poetas e escritores passaram pelo caixa baixa desde sua criação, atualmente a caixa contém: Beto Menezes, Bruno Gaudêncio, Bruno R. R. Santos, Cyelle Carmem, Gustavo Limeira, Jairo Cézar, João Matias, Joedson Adriano, Laudelino Menezes, Letícia Palmeira, Mirtes Waleska, Romarta Ferreira, Thiago Lia Fook Braga e Wander Shirukaya. Entre eles há comunistas, direitistas, esquerdistas, poetas, contistas, ateus, evangélicos, agnósticos, espíritas, católicos, budistas. É um bando de jovens com fome de escrita, experimentam e se arriscam escrever de tudo, de contos de fantasia a poemas parnasianos, de críticas pós-modernas a teatro armorial, de filosofia oriental a física quântica.  Embora todos sejam muito jovens, o grupo no modo geral tem se destacado dentro e fora do estado, alguns já foram publicados, como bruno Gaudêncio, Beto Menezes, Bruno Santos, Cyelle Carmem, Jairo Cézar, Joedson Adriano, Letícia Palmeira, Wander Shurakaya e outros premiados como Gustavo Limeira, Beto Menezes e Bruno Gaudêncio.  Estes jovens escrevem com seriedade.  Optam por encarnar um erro tipográfico, a letra miúda dos contratos, a redação ilegível do vestibular.  São o caixa baixa e se dizem banais, e se assim não fossem, seriam caixa alta. A seguir, conheça um pouco do que está contido na caixa:

betomenezes – poeta e escritor, publicou “o gosto amargo de qualquer coisa”, “pirilampos cegos” e “despoemas”. já sofreu de peito aberto, mas diz que hoje tem o corpo fechado. alimenta o blog http://www.betomenezes.biz/ 

bruno gaudêncio – é escritor, jornalista e historiador.  publicou “o ofício de engordar as sombras” e “cântico voraz do precipício. é co-editor da revista blecaute e alimenta o blog http://acasocaos.blogspot.com

bruno r. r. santos – o escritor diz que escreve para acalentar seus tormentos, pode-se ler seu acalanto no blog http://quebrandoogenio.wordpress.com

cyelle carmem – escritora, mestre em literatura e cultura, editora da Revista de ciências da saúde nova esperança publicou “luzes de labirinto” que já foi lido no café em verso e prosa. o link de seu blog é http://cyellec.blogspot.com

gustavo limeira – poeta, estudante de letras na ufpb e praticante das danças circulares. fez teatro no grupo skena do colégio pio x e junto com a atriz ana valentin, dirige além de estar em cena, o grupo teatrália, que experimenta a teatralização de poemas. gustavo já coleciona alguns prêmios como poeta e já participou do café em verso e prosa várias vezes. é frequentador assíduo.  seu blog é http://versorragia.blogspot.com

jairo cézar – professor de inglês, autor de “escritos no ônibus” e “Rapunzel e outros poemas da infância”, é pai de beatriz e escreve no blog http://escritosnoonibus.blogspot.com 

joão matias – é poeta e editor da revista blecaute. se considera um contemplário lírico, que é o nome do seu blog ( http://contemplariolirico.wordpress.com )

joedson adriano – escritor, autor do livro “ode aos deuses”. não alimenta blog.

laudelino menezes – contoclubista, torcedor do sport e matemático. assim como joedson, não tem blog.

letícia palmeira – escritora, publicou “ artesã de ilusórios” e “sinfônica adulterada”. e como a maioria do caixa baixa alimenta um blog http://leticiapalmeira.blogspot.com

mirtes waleska – a escritora alimenta o blog http://mirteswaleska.blogspot.com

romarta ferreira – a escritora é alagoana, mas mora na paraíba há vários anos. faz parte do “clube do conto” e assim como joedson e Laudelino, não tem blog.

thiago lia fook braga – fez direito mas não exerce,  em vez disso, alimenta o blog http://thiagoliafook.blogspot.com

wander shirukaya – além de alimentar o blog http://blogdoshirukaya.blogspot.com publicou um livro de contos chamado “balelas”

“O grupo foi indicado pelo poeta Lau Siqueira que já foi homenageado do sarau duas vezes, embora não conheça o trabalho de todos, tenho muita admiração pela escrita dos que conheço como por exemplo, Gustavo Limeira, já que somos parceiros há muito anos, participamos da fundação do grupo teatrália e já estivemos juntos em diversas situações, sempre tendo  a poesia como fio condutor de nossa ligação” comentou a atriz Suzy Lopes, sem contar que acho maravilhoso o surgimento de um grupo de jovens com tanta ousadia, que colocam a cara publicamente e se expõem bravamente, criando eventos de escrita autoral, principalmente por estarem no estado de poetas e escritores como augusto dos anjos, Lau Siqueira, Lúcio Lins, W.J. Solha, Paulo Vieira e tantos outros que nós paraibanos tanto nos orgulhamos. A própria criação do grupo já é muito louvável e merece sim serem homenageados, completou a atriz e organizadora do evento. E não é só isso, eles também serão tema da primeira edição do ano do projeto do sesc “parede poética” em uma exposição com 20 banner’s contendo poesias, textos e poemas de autoria do caixa baixa.

Mas a comemoração do aniversário do “café em verso e prosa ainda tem muito mais, nesta noite também haverá uma exposição de fotos dos fotógrafos Bruno Vinelli e Guto Zafalan feitas no sarau e a exibição de um vídeo do artista multimídia Sandoval Fagundes, se trata de um vídeo feito na última noite do sarau realizada dia 12 de março.

Como em todas as edições de aniversário do café em verso e prosa, o empório café, local onde acontece o sarau, preparou um bolo para que seja cantado parabéns para o evento que já tem público certo, e que ele tenha muitos anos de vida.